sexta-feira, 25 de setembro de 2015

Cumplicidade profissional - ou pessoal?

Se a humanidade tem um sonho em comum, deve ser o de conciliar vida pessoal e profissional. Posso estar exagerando, mas não conheço uma pessoa que negaria esta oferta se a ela fosse oferecida. Tem realização mais plena do que trabalhar no que gosta, com quem gosta e se divertir?

Não tenho a menor ilusão de achar que a rotina é 100% prazer, mas pelas fotos, dá pra notar uma cumplicidade entre essas duas moças.

Karina Campo, à esquerda, e
Gláucia Colebrusco, lindas e maquiadas,
prontas para um evento CineMaterna 

Gláucia Colebrusco supervisiona as equipes no Brasil, enquanto Karina Campo gerencia o relacionamento com os shoppings. Elas formam uma dupla perfeita em viagens. Tiveram voo cancelado para Ribeirão Preto (SP), pegaram o carro e enfrentaram cinco horas de estrada para não perderem o evento. Já passaram frio em Curitiba (PR) e Joinville (SC) e derreteram em Bangu (Rio). Gravaram vídeo no Dubsmash. Adoram cantar música brega - e não brega - no carro.


Dormir no mesmo quarto não é para qualquer dupla. Se com companheiro/companheira já é difícil casar nos quesitos ronco, chulé, sonambulismo, horários e manias, imagina com colega de trabalho. O fato é que a combinação destas duas saiu melhor que encomenda. Ainda bem que ambas gostam de selfies e palhaçada. Quando elas viajam, é diversão garantida para quem fica - e trabalho bem feito!


quinta-feira, 17 de setembro de 2015

Na marcação

Imagine um enorme diretório (na nuvem, atualmente), com muitas, muitas fotos assim:


Temos mais de 1000 fotos parecidas com essa. Quando vistoriamos um complexo de cinemas, tiramos fotos assim, uma praticamente igual à outra. É importante sabermos o nome do cinema e o número da sala. Para não nos perdermos nas imagens, registramos o número da sala antes:


Só que há salas em que o número é um luminoso e como fazemos vistoria antes do cinema abrir, está apagado. A solução é sermos as "sinalizadoras pinks".

Sala 4, Gláucia Colebrusco  (parece até homenagem em nome de sala, rs)
Sala 3, Taís Viana

Carol Troque é nova na matriz do CineMaterna e me acompanhou em uma vistoria pela primeira vez. Pedi que marcasse uma das salas do complexo, que estava sem numeração.

Sala 1, Carol Troque

De raciocínio rápido, se assustou ao constatar que eram 15 salas. Perguntou como sinalizaria depois da décima sala. De verdade? Não precisava sinalizar mais nenhuma. Mas claro, não perdi a piada!

Sala 15, chulé na jogada!

quinta-feira, 10 de setembro de 2015

Valente

Prata da casa: Renata Valente. Texto de Ligia Ximenes.

As primeiras palavras que ela usou pra se apresentar, quando propusemos fazer este perfil pra apresentar ela às famílias, dão uma ideia do que vem por aí. “Sou Renata, Valente”. Valente é o sobrenome, e combina muito bem com a Renata. Ela é mãe de três, professora, revisora, mestre em Educação, doutoranda em Letras, e... voluntária do CineMaterna há quase seis anos!

“Conheci o CineMaterna na fila para comprar ingresso do cinema, antes de engravidar da Maria Eduarda. Logo após o nascimento do Daniel [o primogênito], senti muita angústia e medo, e depois disso, jurei que quando engravidasse, isso iria mudar. Tive a sorte de conhecer o projeto e frequentar as sessões com a Duda [a filha do meio] e com o Miguel [o caçula], e aí sim, pude curtir minha grande paixão, o cinema, acompanhada dos meus amores.”

A trajetória pink começou quando recebeu uma chamada simpática por email, convidando voluntárias entre as mães cadastradas no site. Qualificações necessárias: ser mãe, gostar de papear e de cinema. “Não tinha como não me identificar. Fui entrevistada com a minha filha no colo, pela Gláucia. Típico caso de amor à primeira vista”.

Gláucia (à esquerda), com Renata e Miguel recém-nascido, em 2013
Foto: Cacau Querino

Durante este tempo, Renata viveu várias experiências diferentes - e todas elas interessantes, enriquecedoras e gratificantes. “Gosto dos olhinhos das mães assustadas, que não sabem muito bem como carregar pipoca, bebê e mochila. Do chorinho dos bebês estreantes e das vovôs e titias que chegam criticando tudo, e logo se rendem ao trocador na sala".

Pra ela o dia termina bem quando compartilha com algumas mães suas experiências e pode tranquilizá-las um pouquinho a respeito de alguma angústia que estejam vivenciando. “Isso faz bem para alma, para mente e principalmente, para o coração.”

Hoje, até sua mãe é voluntária do CineMaterna, em Santos (SP).

E o que é o CineMaterna? Pra Renata é amor. “Amor pela maternagem, pelo próximo e pela vida.... É também alegria, festa e encontro....é paixão!”.

Obrigada, Renata, por fazer o CineMaterna caber na sua vida.

Renata em "momento celebridade": uma família amou
a experiência do CineMaterna e pediu para ela
sair em uma foto com eles!

quarta-feira, 2 de setembro de 2015

Somos muitas à mesa

Começando pela direita: Juliana, Ligia,
Gláucia e Alexandra.
A partir do fundo: Taís (de azul), Karina,
Maria Rita, Gisele, Carol e Tati, na frente.
(e eu, por trás da câmera)

Essa é a matriz do CineMaterna, em uma foto pequena e tirada de celular. Talvez não dê para enxergar todos os rostos, da mesma maneira que quem vai ao cinema com seu bebê não vê toda a estrutura dos bastidores. Somos 10 pessoas, mais uma assessora jurídica (!). 

Taís Viana orquestra a sustentabilidade do CineMaterna, supervisionando o relacionamento com cerca de 80 shopping centers e patrocinadores nacionais. Eu, Irene Nagashima, harmonizo a operação das sessões nas 37 cidades, junto a 10 redes de cinema, acontecendo através das voluntárias. 

O CineMaterna é patrocinado pela Natura Mamãe e Bebê e Ri Happy Baby, sendo a Maria Rita Barbi responsável pelo relacionamento com as empresas. 

O que talvez você não saiba: os shopping centers são os agentes do crescimento, investindo o custo adicional de incorporar mais um cinema à rede do CineMaterna. Quando um shopping confirma que haverá CineMaterna em "seu" cinema, Karina Campo, que gerencia o dia-a-dia com os centros comerciais, entra em ação. Alexandra Rodrigues, assessora jurídica, elabora o contrato de parceria. 

As sessões são divulgadas por um trio: Carol Troque é a designer que cria as artes de divulgação, Gisele Silva, cuida do relacionamento com o público no meio digital (e-mail e Facebook) e Ligia Ximenes é responsável por toda a estrutura e comunicação do site

E para as sessões acontecerem nos 80 cinemas, Gláucia Colebrusco, supervisiona as equipes no Brasil e garante que haverá sempre uma pink para receber o público.

Claro, alguém tem que cuidar das finanças, a cargo da Juliana Freire, que junto com a Tatiana Storni, cuida da produção de eventos e projetos especiais. 

Sabe qual o final feliz? Mães e bebês que vão ao CineMaterna e encontram uma das 270 voluntárias espalhadas pelo Brasil, que recebem o público com um sorriso no rosto e empatia materna.