segunda-feira, 24 de agosto de 2015

Pink exata

Antes de começar a trabalhar nos bastidores do CineMaterna, ela já era a "cara" da iniciativa.  Apareceu no estacionamento do Natal Shopping, sim, lá no Rio Grande do Norte! Ela, Maria Rita Barbi, e seu Matias, um bebê na época em que a foto foi tirada.

Entramos no estacionamento e avistamos Maria Rita e Matias!

Poucos meses depois deste evento em Natal, Maria Rita começou a trabalhar no CineMaterna, no relacionamento com os patrocinadores. Ela, engenheira química de formação, com carreira em consultoria estratégica e repensando suas prioridades depois do nascimento de seu filho, foi cooptada por nós.

Vestindo a camiseta (e o banner) pink

Ela, cujo sobrenome Barbi remete a uma famosa boneca e nos permite uma série de piadas internas, tem trabalhado para deixar os patrocinadores contentes e portanto, manter a viabilidade financeira do CineMaterna.


Na conversa inicial conosco, apareceu com roupas muito parecidas com as da Taís Viana, sua amiga dos tempos de faculdade. Quase irmãs gêmeas! Brincamos, dizendo que aquele era um sinal de que tudo daria certo, afinal, já estava sintonizada conosco!

segunda-feira, 17 de agosto de 2015

Minimamente

Eles são encantadores. Atrapalhados. Bobos. Amarelos. Minions exercem um fascínio sobre a humanidade. Bom, pelo menos parte dela, em especial, humanos do sexo feminino. Se isso não vale pra você, vale pra mim. Acho que os Minions são... fofos.

A Pantone, empresa americana que cria as referências de cores no mercado gráfico, concorda com a fofura e reconheceu de uma forma artística, criando o Amarelo Minion.



Ah, mas duvido que você não ache estes Minions fofos, clicados no CineMaterna.

Foto: Silvia Koch
Foto: Simone Novato
Foto: Silvia Koch
Foto: Silvia Koch
Foto: Olivia Vinci
Foto: Silvia Koch
Esta foto é minha, tirada em Bangu há dois meses.
Será que o pequeno Minion já nasceu? 

quarta-feira, 5 de agosto de 2015

Comemorando a beleza do que somos, sem modéstia

Ligia Ximenes, responsável pela comunicação do CineMaterna, vem gestando textos para apresentar quem faz o CineMaterna. A partir de uma pequena entrevista, ela escreve a história de uma pessoa que colabora no CineMaterna. Achei que hoje, quando o CineMaterna faz sete anos, é um dia perfeito para inaugurar a série.

Lucíola Gonçalves, coordenadora do CineMaterna em Florianópolis, SC. Texto: Ligia Ximenes.

Gestora de negócios por formação, Lucíola conheceu o CineMaterna através da irmã, que foi nas primeiras sessões em São Paulo. Era 2008. Em 2009 ela entrou em contato com Irene [Nagashima, uma das fundadoras]. Queria fincar a bandeira pink em Florianópolis. No ano seguinte, 2010, realizamos o seu sonho. Embora seu filho, o José, tivesse 15 meses, portanto já crescidinho pra deixar a mãe curtir um cinema, ela decidiu vestir a camiseta para receber outras mulheres. Não tirou mais. O motivo? O CineMaterna é seu momento de descanso. Onde tem a chance de conhecer novas pessoas. E, claro, não só ela conhece gente nova. “Sempre observo que as mães que chegam sozinhas fazem novas amizades no café e já voltam na sessão seguinte acompanhadas das novas amigas-mães. A felicidade estampada na face das mulheres que veem que não estão sozinhas no mundo novo da maternidade é demais”. Lucíola é alto astral também nas horas vagas: ama praia, ama ler, e ama quase tudo do Chico Buarque. A gente também ama o Chico. E, claro, a gente ama a Lucíola!