sexta-feira, 31 de julho de 2015

Aprontando em sequência

Não são crianças aprontando. Ou melhor, será que são crianças? Para nós, basta uma máquina fotográfica e um pouco de disposição... para poses.




Não importa se sozinha, em dupla ou em um grande grupo, como este, do lançamento em Natal (RN). 



Ah, mas se aparece um adereço novo como este robe, uma certa moça enlouquece posando. 




Nada como ser pink, mãe e ter vida de modelo fotográfico. 

segunda-feira, 27 de julho de 2015

Amanhã serei uma nova mãe

Por vezes, tenho a sensação de que sou péssima mãe. Ou que tomei uma decisão errada no trato com meus filhos. Ou que não nasci pra maternidade. Ou qualquer visão pessimista quando algo na relação com eles não deu certo - o que acontece com frequência maior que a desejada, já que gostaria que não ocorresse nunca.

Claro que tenho dias negros com relação ao trabalho, ao casamento, em outras situações. Mas como mãe, estou deixando marcas nestas pequenas pessoinhas e isso faz com que cada passo que dou com relação a eles pese mais. 

Ouço (e pratico) muito o discurso de que os filhos vêm para nos desafiar, em especial, quando são completamente diferentes de nós. Isso é lindo na teoria, mas na prática, nossa, como é difícil! É na maternidade que conhecemos de fato o conceito de empatia e a dificuldade que é entender o que o outro está sentindo. 

Meu caçula, com menos de dois anos, sendo uma daquelas crianças que
sentam no chão e choram quando contrariados. 

Quando eu era adolescente, lembro de fazer uma besteira qualquer e momentos (horas ou dias) depois, prometer a mim mesma mudar, ser "melhor", sensata, ponderada, equilibrada. Me peguei querendo ser uma nova mãe.

Escrevo este pequeno texto no ímpeto, em um dia ruim, pois se deixar pra depois, acabará a inspiração. Sei que, como tudo na vida de mãe, os acontecimentos são em ondas e o lema é "vai passar".

quinta-feira, 16 de julho de 2015

Não estou lá, mas elas estão aqui

Bastaram duas fotos para sentir que é estranho não estar lá. 



Estou em Porto Alegre (RS) onde meu marido tem família. Conectada o tempo todo porque são férias para as crianças, mas não para mim. Hoje está acontecendo um lançamento do CineMaterna em São Paulo e recebi as duas fotos acima no grupo de Whatsapp da matriz (quem não faz parte de pelo menos um grupo?). 

Vou recebendo as informações: 

13h35 Fila fazendo a curva fora do cinema
14h00 239 adultos
14h09 272 (sessão começa às 14h10)
14h17 290 adultos e 177 bebês
14h29 296 adultos e 180 bebês

E assim, sinto a ambiguidade dos sentimentos: lamento não estar lá, mas sinto orgulho enorme do evento bem sucedido tocado pela equipe bem preparada. De quebra, ainda ganho uma brincadeira.

Recebi esta foto e fiquei tentando adivinhar de quem eram os pés. Ao receber o "gabarito" percebi que acertei dois e errei o resto.


Taís Viana
Maria Rita Barbi
Karina Campo
Tatiana Storni 
Gisele Silva
Não, não é da Taís. 
O "pequeno" sapato anterior pertence ao
Solzinho, personagem da Ri Happy Brinquedos
(e este sapato menor é da Cleia Michels)

E assim termino o dia feliz por ver como trabalhamos de forma séria e descontraída. 

Descanso merecido pós-evento

segunda-feira, 6 de julho de 2015

Nossa pink virtual

Essa moça de semblante tranquilo é a Gisele Silva. Trabalha no CineMaterna há quase um ano, quando entrou para cobrir uma licença-maternidade e foi convidada a ficar, de tão competente que é! É a veterana na maternidade entre as mães dos bastidores, tem uma filha de 10 anos, a Malu.

Jornalista, é dela a curadoria do conteúdo do nosso Facebook que recebe tantos elogios. De alma doce, é também responsável pela interação com o público no mundo virtual: de perguntas triviais a reclamações cabeludas, é nossa linha de frente neste espaço. Encaminha solicitações, investiga causas de problemas e tem sempre uma palavra carinhosa, mesmo em situações difíceis. Sabe aquela resposta atenciosa que você recebeu quando nos escreveu? Foi ela quem respondeu. ;)

quarta-feira, 1 de julho de 2015

Agenda lotada

Lotou. Daqui para frente, só para 2016. E assim encerramos a agenda de lançamentos de 2015, ainda em junho. São 25 novos complexos de cinema recebendo CineMaterna em um ano bastante atípico e movimentado. Novo patrocinador, nova comunicação visual, novas pessoas nos bastidores, novos fornecedores, novas cidades e cinemas. E poucos erros, o que é incrível se considerar que estamos navegando ao dobro da velocidade habitual.

Viva a tecnologia que facilita as rotinas. Viva às profissionais que estão nos bastidores. Viva às voluntárias que fazem o acolhimento das mães. Viva a nós. Ser mãe é isso: celebrar os acertos, consertar os erros e refletir sobre o crescimento.