sábado, 24 de maio de 2014

Papai já volta

Outro dia vi em uma mídia social, no perfil de um pai de um bebê de uma semana, a mensagem: "papai já volta!". Ele, torcedor fanático de um time de futebol, postava a foto do ingresso de um jogo.

Uma mãe não consegue se dar ao luxo de deixar tal recado para seu bebê recém-nascido. Mãe e bebê são praticamente o mesmo ser nos primeiros dias (ou meses?). Inseparáveis não apenas quando amamenta, deixar o bebê não é tão trivial para uma mãe. É impensável. Ir ao banheiro é um desafio!

Mães abdicam de suas paixões, de seus gostos, de seus programas em função de um bebê recém-nascido. Fazem isso instintivamente, mas não sem sacrifício. Gostariam, sim, de ir ao show de sua banda preferida, à happy hour com as amigas, à festa badalada e aguardada, à estreia no teatro de sua melhor amiga. Dói abdicar de programas, mas respiram e esperam a vontade passar.

Mas veja que nem tudo é tão ruim assim! O CineMaterna nasceu deste desespero materno, de retomar um programa que era, antes do filho, uma paixão.

Mães no cinema, com seus inseparáveis companheiros,
em um entretenimento para elas

3 comentários:

  1. Queria dizer que as mães são realmente tudo isso e fazem exatamente cada uma das coisas citadas acima. Mas peço que não generalizem tanto e mostrem que existe outro tipo de pai. Existe um pai que é parceiro da mamãe, que ajuda no dia a dia a cuidar desse ser precioso. Sim existe pai que considera um filho (a) um ser precioso. Existe um tipo de pai que jamais trocaria a companhia da mãe e de sua criança para ir ver futebol ou outra coisa qualquer. Não há nada mais importante pra esse pai. Existe um tipo que sente junto as dores e alegrias. E nas dores contribui na solução. Enfim, eu poderia ficar aqui discorrendo por muitas outras linhas tentando demonstrar que nem tudo esta perdido para vcs! Basta ir em busca de homens verdadeiros e companheiros de vcs. Fazer é fácil e gostoso, mas existe um tipo de marido e pai que gosta e quer estar ao lado da esposa e filhos para tudo, e com prazer e amor! Felicidades!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá! Não estou criticando este pai, apenas usei o exemplo para falar da simbiose mãe-bebê. Sim, que bom que existem (muitos) pais participativos - meu marido é um deles!

      Abçs e obrigada por compartilhar!
      Irene

      Excluir
    2. Acho que a generalização não é por acaso rsrsrs... infelizmente a maioria é assim... abs

      Excluir