quinta-feira, 27 de junho de 2013

Você não sabe o que está perdendo!

É assim que recebo os depoimentos escritos no site, para aprovar.


NOVO DEPOIMENTO Enviado em 10/06/2013
Nome: Mariana Gurgel
Nome bebê: Catharina
Meses: 50 dias
Cidade: Salvador - BA
Depoimento:
Se alguém poderia ter tido uma ideia genial, foi a de criar o CineMaterna! Passei a gravidez inteira imaginando como seria quando fosse [ao CineMaterna] e atingiu todas as minhas expectativas! Não vejo a hora de ir de novo. Eu e Catharina nos divertimos, brincamos e ela ficou super-confortável no seu habitual soninho da tarde! Mas também, com um ambiente acolhedor, quem não se sente bem??? Parabéns a todos que fazem parte da criação e organização do CineMaterna. Vocês fazem um bem enorme a mães e bebês!!! Quem ainda não foi, CORRA! Você com certeza não sabe o que está perdendo!!!

Obrigada pelo carinho, Mariana. Nós, que organizamos o CineMaterna, nos orgulhamos muito de receber depoimentos como o seu. :)

segunda-feira, 24 de junho de 2013

Depoimento interno

Renata Boulos é coordenadora no CineMaterna em São Paulo. Frequentou as sessões com seu filho, Pepo, e está na nossa equipe há mais de quatro anos. Escreveu um lindo texto para o jornal da escola Grão de Chão, que seu filho frequenta. Reproduzi aqui porque, mais do que falar do CineMaterna, dá um depoimento sobre seu puerpério de forma precisa e muito, muito verdadeira.

Costumam dizer que com o nascimento de uma criança, nasce também uma mãe. Eu acredito muito nisso. Cada mulher vive a maternidade de um jeito e passa por experiências únicas – não existe verdade absoluta nesse assunto. É o bebê se acostumando com a vida fora da barriga, a mãe com a nova rotina e os desafios de um filho ou ainda ter de lidar também com o mais velho. Isso sem excluir o pai, é claro, também buscando o seu lugar nessa nova dinâmica em que ele também tem de assumir um novo papel. E cada uma encara de um jeito essa fase de pós-parto: hormônios, novidades, aprendizados, a opinião dos outros (afinal, todo mundo sabe mais do que você, mãe, sobre o SEU filho) e todo o pacote. São tantas emoções que muitas vezes nos vemos chorando porque a unha quebrou, porque o chá derramou e tentando, por horas, fazer as contas de cabeça (sim, porque a memória não é a mesma depois da maternidade) de quando foi a última vez em que conseguimos nos depilar. 

Bom, pelo menos foi assim a minha experiência. E lá estava eu, em casa, com aquele serzinho o dia inteiro grudado no meu peito, descabelada, com milhares de coisas ao mesmo tempo: trabalho, cobrança, contas, cólicas, cocô, cinema, cachorro, casa, e aaaaa, eu não dou conta!!!! E no meio desses pensamentos, epa, peraí... Cinema??? Sim, cinema!!! Como assim, cinema? E foi num desses grupos de discussão on-line de mães que o tema foi abordado. Do que você sente mais falta na maternidade? E eu, cinéfila de carteirinha pus a mente pós-parto para trabalhar: qual foi mesmo o último filme que vi? Foi aquele argentino? Não, não, naquele eu nem estava grávida... E por que não vamos ao cinema? E com essa ideia fixa na cabeça, um grupo de mães apoiadas umas pelas outras com seus respectivos bebês invadiram uma sessão comum, no Espaço Unibanco da Augusta (que agora é Itaú). E não é que deu certo? As mães saíram leves e bem mais felizes. E os bebês mais relaxados. 

A ideia foi crescendo e tomando um rumo: o CineMaterna. Em pouco tempo, já tínhamos uma sessão especial para as mães (e pais) e bebês no cinema da Augusta. Ar condicionado baixinho, luzes laterais acesas, som reduzido e trocador na sala. E não é que funcionou? As mães votavam com uma semana de antecedência no filme em que queriam ver e pronto! E depois de cada sessão, sempre tinha o bate-papo num café ao lado em que as mães tomavam um café, comiam um doce e compartilhavam com outras mães a sua experiência. Os bebês mais novos dormiam ou mamavam. Os mais velhos brincavam. Eu chegava em casa mais feliz. 

“Estamos criando uma nova geração de cinéfilos” alguém comentou. Só sei que uma rede de bebês e mães foi se formando. E quando o Pepo virou “de maior” (porque por volta dos 18 meses o bebê já começa a prestar atenção no filme e fica mais difícil) eu não consegui me despedir. Como tenho um trabalho flexível, mantive a minha tarde “sabática” dedicada ao cinema e me tornei voluntária nas sessões. Não me lembro de todos os filmes que vi, mas construí amizades verdadeiras e aprendi muito com cada mãe e sua maneira diferente de maternar. Já recebemos mães com bebês de dois dias e outras saindo pela primeira vez de casa com seu filho de oito meses. Pais, avós e até bisavós. E até hoje, mais de quatro anos depois, coordeno algumas sessões em São Paulo. Aliás, hoje o CineMaterna está presente em 51 salas em 25 cidades do Brasil. E aí, vamos ao cinema?

Ilustração de aluno do Grão de Chão, que acompanhava o texto.
Alguma dúvida do que é a cena?

quarta-feira, 19 de junho de 2013

Celebridade

Sento-me no fundo (e no alto) da sala de cinema para assistir ao filme. Izabella Loiola, responsável pelo relacionamento com os shoppings no CineMaterna, sobe as escadas para falar comigo. Cochicha, sorriso nos lábios, que tem um pai sozinho na sessão - e que está alimentando a filha! Vira-se e desce as escadas. Dou risada ao constatar que a Iza veio só para me contar este fato.

Fim de filme, vamos ao café. Chega Gabriel, pai da Alice, de sete meses, e senta-se conosco. Alice estranha o excesso de atenções da mulherada, mas logo se acostuma e se desdobra em sorrisos com seus dois dentinhos.

Gabriel e Alice, gostamos muito da sua presença. Desculpem o alvoroço, mas é que admiramos homens que passam tempo sozinhos com seus bebês. Para nós, vocês são celebridade! ;)

Gabriel e Alice, estreando no CineMaterna

sexta-feira, 14 de junho de 2013

Disfarçado de banner

História hi-lá-ria de Brasília, contada pela Fernanda Valentim, coordenadora da cidade:

Um casal levou seu bebê para a sessão. O pai havia ligado para o chefe no trabalho e dito que tinhas umas coisas para resolver com o bebê. Ao chegar na sala da sessão deu de cara um amigo próximo do chefe. Ficou em pânico, procurou nossa coordenadora e disse "me ajuda, aquele ali é amigão do chefe, ele vai me ver e vai contar que eu estou na sessão, matando trabalho". Nossa coordenadora riu e falou "só se eu te esconder dentro do saco do banner!".

Sim, cabe uma pessoa dentro do nosso
porta-banner pink!

terça-feira, 11 de junho de 2013

Quem procura, acha!

Tivemos que soltar um anúncio procurando voluntárias para a cidade de São Paulo. Sabíamos que receberíamos muitas respostas, mas como há várias equipes com vagas, era a forma mais indicada.

Eis que recebemos esta resposta "engraçadinha":
Mãe, promovida a colaboradora em Santo André (SP), promovida a coordenadora (na licença-maternidade de uma amiga querida), promovida a fotógrafa das sessões (e morrendo de saudade de colaborar novamente). :-)
Aceito viajar pra ajudar nas inaugurações das salas! Ficha limpa, procedência materna e 
boas referências.
Quem enviou foi a Simone Novato, que veio ao CineMaterna pela primeira vez quando seu Arthur tinha 25 dias. Algum tempo depois, entrou para a equipe e está até hoje conosco, depois de mais de dois anos.

Primeiro CineMaterna da Simone (esq), Arthur com menos de um mês,
e Cinthia, coordenadora 
Simone em maio de 2013, fotógrafa

Queridíssima, certamente você seria selecionada novamente! 

quarta-feira, 5 de junho de 2013

Lançamento na Cinesystem Londrina Norte Shopping (PR)

Começou com atraso no voo da ida e pouso em Maringá. Duas horas de ônibus e finalmente chegamos em Londrina. Uma viagem de pouco mais de uma hora levou sete. E ainda teve a volta com voo cancelado, hotel, nova ida ao aeroporto, atraso e finalmente, embarque. Ufa!

Taís sem cabeça, no ônibus que fez o trecho Maringá-Londrina
Chegando em Londrina, não tinha táxi!
Taís feliz da vida,
com os brindes da Unimed para o lançamento,
achando que estava deixando o último hotel em Londrina
Pois é, segunda cama de hotel em Londrina.
Cama de casal, mas quartos separados, tá?
A volta dos que não foram

Apesar dos contratempos da viagem, o lançamento em Londrina foi delicioso. A começar pela equipe alto astral. Duas grávidas, Tamiris e Andrea, mais Marilia, que conheci no lançamento em Maringá há mais de um ano, e a bem humorada Fernanda.

Marilia, Tamiris, Fernanda e Andrea

O lançamento? Ah, aquela coisa boa de sempre: junta cinema, mães, pais, avós, amigos e bebês, não tem erro! Sorrisos, olhos brilhando, gritinhos de alegria e sonecas no colo, que rendem imagens lindas.














Agora, é torcer para o aeroporto estar aberto quando a Gláucia Colebrusco for na primeira sessão regular. Em todo caso, já a alertamos para levar uma troca de roupa extra. 

Mais fotos aqui: bitly.com/LondrinaNor.

domingo, 2 de junho de 2013

Festa junina

Júlia, ruiva, com Bernardo,
recém-recém-nascido no colo, não-ruivo
Foto: arquivo pessoal
Nasceu! Aos 42 do segundo tempo, Bernardo veio ao mundo exterior ontem à noite com 4,100 kg e 52 cm. Segundo filho da Bianca Balassiano, sua gravidez foi muito festejada por todas no CineMaterna. Tentando engravidar desde antes de entrar para a equipe, há quase cinco anos, a notícia da gravidez da Bianca deixou todas as pinks em êxtase.

Júlia, primogênita da Bianca, é uma linda ruiva, o que fez com que todos especulassem sobre a cor do cabelo do Bernardo. Como ainda não inventaram o ultrassom 3D e colorido, a bolsa de apostas rolou solta.

Bianca, bem-vinda ao maravilhoso mundo das mães de dois. O olhar de admiração do caçula para a irmã mais velha, o carinho da maior com o menor, os irmãos interagindo e se descobrindo compensam o eventual cansaço das noites mal dormidas. :)