quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013

Nosso Sean Penn

Você provavelmente já viu a hashtag #vemseanpenn. Explicando rapidamente: Ariel Goldenberg é ator, um dos protagonistas do filme Colegas e portador da Síndrome de Down (SD). O sonho de Ariel é que Sean Penn venha para a estreia de Colegas, que aliás, é amanhã, sexta-feira, 01/03. Gravou um vídeo, que virou hit no YouTube e você pode conferir no final deste post. 

Corta. Abre parênteses.

Ana Cristina Faria, a Kiki, é uma amiga, mãe de Angelina, que nasceu com SD, e infelizmente, ficou pouco tempo com sua família. Como diz seu nome, Angelina é um anjo, que mudou a vida de seus pais.

Kiki e Angelina

Kiki me perguntou se achava viável o CineMaterna conseguir uma sessão especial para familiares de crianças com SD, com dificuldade de acesso à cultura. Agitei meus contatos e, juntas, concretizamos pré-estreias de Colegas em quatro cidades: São Paulo, Rio, Brasília e Porto Alegre.

Assim como Ariel, tínhamos uma ambição: a presença do diretor na pré-estreia de São Paulo. A sessão foi marcada por emoção, lágrimas (minhas, da Kiki e das mães presentes) e histórias sobre a produção do filme, proporcionadas pelo NOSSO SEAN PENN: o diretor Marcelo Galvão veio!!!

Eu, Marcelo Galvão e Taís Viana
Foto: Karin Michels
Nossos convidados mais que especiais no cinema
Foto: Karin Michels
Marcelo Galvão e Kiki
Foto: Cacau Querino
O grupo de convidados, depois do filme
Marcelo Galvão curtiu CineMaterna e nós curtimos Colegas!
Foto: Cacau Querino

Ariel, estamos torcendo para que seu sonho se realize. Marcelo, com ou sem Sean Penn, promover um novo olhar para a Síndrome de Down através de um filme tão sensível é, certamente, a maior de todas as conquistas!

 

segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013

Sensibilizada

Alguns acontecimentos do cotidiano me sensibilizam. Fico abalada, os olhos marejam, o coração aperta - de felicidade. Acho que nunca vou me acostumar com isso, e sinceramente, não quero que mude. Como frio na barriga diante da paixão: uma cosquinha boa. 

Acontece quando ouço Ligia Ximenes e Izabella Loiola, que trabalham conosco, comentarem que é um frenesi ser chamada para trabalhar na "matriz" do CineMaterna. Imagina, Taís Viana e eu é quem nos achamos sortudas por contar com estas competentes profissionais!

Eu com Maysa, filha de
Madonna Macedo, 
em foto tirada por ela
Ou quando Madonna Macedo, fotógrafa de Recife, me vê na sessão e comenta, repetidamente: "Puxa, temos visita ilustre. Que honra tê-la aqui!". Ilustre, eu? A honra é toda minha!

No texto Festa da Firma, concluí que não previ que o nascimento de meu primeiro filho mudaria tanto a minha vida, que hoje tem o CineMaterna entranhado. O impulso é de me beliscar para saber se estou sonhando. Assim que publiquei, recebi um e-mail carinhoso da Izabella:

Caramba, nem estou de T.P.M. e chorei com o texto... E quem imaginaria [que a vida mudaria tanto com o primeiro filho]?! Obrigada!

Da minha parte, "eu também (nem estou de T.P.M.), eu também (me emocionei)!". 

quarta-feira, 20 de fevereiro de 2013

Pela segunda vez

Liviam Beduschi frequentou o CineMaterna na época de "guerrilha", como costumo chamar quando "invadíamos" sessões regulares sem avisar o cinema. A foto abaixo é do lançamento oficial do CineMaterna. 

Agosto de 2008

Com os fotógrafos registrando a presença da mães em grande parte das sessões CineMaterna, tornou-se possível ver, virtualmente, quem foi ao cinema. Olhando um desses álbuns, notei que Liviam foi ao CineMaterna com sua segunda filha, Thalita. Tem melhor aprovação de um "serviço" do que uma "cliente" retornar? ;)

Fevereiro de 2013
Foto: Janine Trassi

quinta-feira, 14 de fevereiro de 2013

Quarta-feira de Cinzas Pink

Quis compartilhar com vocês! Fico tão tão feliz quando vejo a amizade dessas duas coisinhas chamadas Alice!!! Elas se abraçam forte e com muito amor todas vez que se veem. Claro que têm seus arranca rabos, mas esse abraço é revigorante! É emoção, é amor, fico cheia de felicidade de saber que elas se conheceram no CineMaterna! [depoimento de Izabella Loiola]

Alice, de Mulher Maravilha, filha da Izabella Loiola,
abraça Alice, de bailarina, filha da Melissa Patricio

Izabella, mãe da Alice, é responsável no CineMaterna pelo relacionamento com parceiros há seis meses e foi do público quando sua filha era pitoquinha. Está grávida de um amendoim e banhada nos hormônios que aumentam a emoção (já intensa) de ver uma imagem como essa. 

quinta-feira, 7 de fevereiro de 2013

Vistorias, vistorias e mais vistorias

Já fizemos vistoria de 66 complexos de cinema em 25 cidades. Se, em média, cada complexo tem seis salas, são quase 400 salas de cinema! 

A imensa maioria das fotos do diretório "Vistorias" em meu computador são assim:

Salvador, BA
Porto Alegre, RS 
Niterói, RJ
Maringá, PR
São Paulo, SP

Normalmente, as fotos são tiradas antes das sessões começarem, de manhã, mas às vezes, não é possível e vamos com as luzes apagadas mesmo!

Rio de Janeiro, RJ

Há várias fotos com "interferências (ou intervenções?) humanas". Algumas posadas, outras, sem querer.

Gláucia, passando rapidamente, em Recife, PE
Taís em Ribeirão Preto, SP
Gláucia com Rafa no sling, em Cotia, SP
Taís em Brasília, DF
Gláucia, se esforçando para anotar tudo direitinho, em São Paulo, SP
Lucíola (coordenadora de Floripa) e Taís, em Florianópolis (SC)
Taís em Caxias do Sul, RS
Gláucia inspecionando a rampa, em São Paulo, SP
Taís, achando que não sairia na foto, em Campo Grande, MS
Gláucia, grávida, testando a cadeira da sala VIP, em Alphaville, SP
Gláucia fazendo graça láááá embaixo, em São Caetano do Sul, SP

E ainda, as fotos fora das salas.

Escada em Joinville, SC
Área de espera em Fortaleza, CE
Auto-retrato em Campinas, SP
Rampa e entrada em Curitiba, PR
Bilheteria em Belo Horizonte, MG (com Taís no canto) 
Quase uma foto artística em Belém, PA

Este texto começou porque queria dar sentido à foto da nossa última vistoria (abaixo). Acho que me empolguei no post. Como você pode notar, nada escapa em nossas inspeções!


segunda-feira, 4 de fevereiro de 2013

Quando o espermatozóide encontra com o óvulo

Estamos com 20% da matriz do CineMaterna grávida. Somos 10, duas estão gestando. Uma, sem sintomas da gravidez. A outra, virando do avesso.

"Estar grávida é maravilhoso". Vejo a frase estampada na capa de uma revista feminina, dito por uma atriz global. Meu pensamento imediato é: "só se for para você, linda e rica". Mas a verdade é que os hormônios que invadem o corpo feminino não fazem distinção de raça nem de classe social. Há mulheres que passam incólumes pelos desagradáveis sintomas da gravidez, como enjoo, vômito, dor nas costas e azia, enquanto outras, apenas "brilham", gloriosas com suas lindas barrigas.

Auto-retrato que fiz na segunda gestação.
Eu, que passo mal do começo ao fim da gravidez. 

Mesmo não sendo religiosa, não consigo deixar de pensar que a gravidez é um milagre: um minúsculo espermatozóide rompe a parede de um óvulo e começa a formar um serzinho. Um corpo de mulher gerando vida, bombardeado por hormônios. Não é incrível? Eu acho. Principalmente quando olho para os meus filhos.