quinta-feira, 24 de janeiro de 2013

No seio das artes

Ao me tornar mãe, minha visão de mundo foi alterada. Passei uma semana de férias em Paris, em descanso merecido! 

Sou grande apreciadora de arte. Não tenho conhecimento técnico do assunto, mas gosto muito de frequentar museus e exposições. Em Paris, o primeiro nome que vem à mente: Louvre. Estava eu caminhando por este labirinto cultural quando parei em frente a um quadro que prendeu minha atenção:

La Vierge au coussin vert (A Virgem com almofada verde),
de Andrea Solari, 1465-1524

Fui a muitos museus com obras da mesma época e provavelmente, vi outras cenas semelhantes, de mães amamentando seus bebês retratados em pinturas ou esculturas. Mas, antes da maternidade, nunca me despertaram interesse a ponto de me fazer parar e menos ainda, fotografar. Chamou minha atenção a forma como a Virgem segura o seio, ajudando na pega correta. Isso, no século XV. Ao ver a imagem, imediatamente lembrei do puritanismo que nos assola e que condena a amamentação em público.

Continuei caminhando por aqueles corredores e vi mais obras, belíssimas!

Orazio Gentileschi
La repos de la Sant Famille pendant la fuite en Egypte, 1628 (?)
(O repouso da Sagrada Família durante a fuga para o Egito)
Andrea del Sarto, 1488-1530
La Charité (A caridade)

Barnaba da Modena
La Vierge e L'enfant (A Virgem e a criança), 1370 (?)
Estatueta de Ísis amamentando Horus,
664-332 a.C.

Diversas épocas e diferentes culturas retratando o mesmo ato, o de amamentar. Continuei percorrendo museus atenta a cenas semelhantes. Encontrei outros retratos de diferentes classes sociais, só que nos demais museus, não era permitido fotografar. Então, para fechar, deixo uma imagem que vi ao vivo no Museu d'Orsay e encontrei no site. 

Pierre Auguste Renoir
Maternité dit aussi L'Enfant au sein1885
(Maternidade, também chamado de Criança ao seio)
©photo musée d'Orsay

Retratados estão Aline e Pierre, primeiro filho de Renoir. Tocante o pintor associar maternidade à criança ao seio, como sinônimos. 

Close do quadro, imagem extraída do site do Museu d'Orsay

5 comentários:

  1. Adorei, adoro arte e talvez minha percepção tb fosse essa neste momento, esta muito dificíl para mim manter a amamentação do Pedro, ele tem três anos e ninguém fala que é porque ele não precisa mais e sim ficam dizendo que é vergonhoso que ele é grande de mais, já ouvi até "vulgaridades" sobre isso. Não sou radical, respeito o direito da mãe desmamar seu filho quando não está à vontade mas fico chateada em ver que eu incomodo as pessoas com a minha escolha, ainda temos muito que evoluir, ou regredir visto do ponto das artes,as mães de antigamente é que eram sábias...

    ResponderExcluir
  2. também tenho esse olhar e sempre fotografo essas obras em viagens. voltei de ny com a câmera cheia delas, tiradas no met

    ResponderExcluir
  3. Poxa, fui ao Louvre em março, e ao ver "o repouso da sagrada família durante a fuga para o Egito", me ocorreu a mesmíssima coisa que a você: como pode um ato visto como sagrado, e retratado em obras de arte de cunho religioso, ser visto hoje em dia como algo embaraçoso, inapropriado e até erotizado? Acho que no Brasil, é até mais tranquilo amamentar em público, mas sempre vejo na mídia que há um grande tabu em torno disso em outros países. Você escreveu tudo o que eu queria ter escrito. Parabéns!

    ResponderExcluir
  4. Que bacana, Verônica! Obrigada por compartilhar.

    Bjs
    Irene

    ResponderExcluir