sexta-feira, 5 de outubro de 2012

Mãe perfeita

Esta é a Ana Garbulho, que foi doula pós-parto no nascimento do meu primeiro filho, Max. É ele quem está em seu colo, menos de 24 horas depois do nascimento.
A doula pós-parto auxilia a mãe nos primeiros dias com um bebê recém-nascido, dá um suporte na  amamentação, observa a nova rotina e responde dúvidas. Acima de tudo, cuida da mãe no delicado período de adaptação e aprendizado em seu novo papel.
Pois bem, Ana Garbulho parecia ter o poder milagroso de acalmar qualquer bebê em seu colo, mesmo os mais "ferozes". De uma sabedoria incrível, me deu dicas preciosas, às vezes, pelo telefone. Era impressionante como ela, tão nova e ainda não sendo mãe, compreendia perfeitamente o que eu estava passando.
Ana, com Bruno

Há quase um ano, tornou-se mãe. Encontrei-me com ela há um mês, feliz em conhecer seu lindo Bruno, que tinha visto apenas por foto. A primeira coisa que ela me disse foi que não conseguia imaginar como as mulheres podiam ter vontade de ter mais de um filho. Contou como ela, pacificadora de todos os bebês, estava passando apuros com o seu, que demandava toda a sua energia e atenção. Nem a melhor das doulas pós-parto sobreviveu incólume à rotina cansativa de ser mãe.

Às vezes me pego impaciente com meus filhos e fico chateada comigo mesma. Eu, como todas as mães, gostaria de ter uma paciência infinita, ser sempre carinhosa, calma e afetiva e nunca, jamais, levantar a voz. Claro que não consigo. E tenho certeza que esta "mãe perfeita" não existe. Bastou uma rápida conversa com a Ana Garbulho para comprovar isso!

Nenhum comentário:

Postar um comentário