quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

A legenda, em pessoa

Durante um festival ou mostra de cinema, em uma mesma sala, num único dia, podem passar cinco filmes diferentes. Imagine a logística de coordenar 300 títulos, em mais de 2000 sessões, em 20 salas de cinemas, num período de duas semanas. Assim é a Mostra Internacional de Cinema de São Paulo.

Nesse ritmo, claro que podem ocorrer falhas. Alguns filmes não chegam, a película fica retida na alfândega ou até mesmo tem problemas no transporte.

No ano passado aconteceu uma sequência divertida na primeira das nossas três sessões na Mostra.



Cheguei ao cinema uma hora antes, como é de praxe, para preparar a sala e receber o público. O gerente do cinema comunicou que não estava previsto ter CineMaterna e ainda acrescentou que não havia funcionário na bilheteria (o horário é diferenciado, antes do cinema abrir ao público em geral). Gelei. Na sala em que estava combinado usarmos, tinha outro filme programado, no mesmo horário. Depois de segundos de pânico, liguei para a organização da Mostra. Resolveram, nos trocaram de sala e por conta disso, a sessão seria gratuita. Fiquei radiante: ganhamos a sessão de presente!

Minha alegria durou pouco: logo descobri que que nosso filme daquele dia, falado em inglês, não tinha legendagem. Explico: a maioria dos filmes de festivais vem sem legenda. A solução utilizada é projetar sob a tela do filme uma legenda eletrônica, controlada manualmente por uma pessoa que solta as frases de acordo com a fala. Ou seja, não estava preparado nem o projetor multimídia, nem a pessoa para administrá-la.

A tela menor de baixo é para projeção da legenda eletrônica
Legenda eletrônica projetada em amarelo
Na tela acima, legenda em inglês no filme
Foto extraída de matéria da Folha de SP, 25/10/11

Era muita adrenalina para uma manhã. Estava no segundo momento de pânico quando surgiu uma mulher perguntando qual era a sala que passaria o filme X, que era o nosso. Respondi, estranhando que ela estava sem bebê. Contou indignada que estava na sala ao lado esperando por um filme e começou outro. Terminou explicando que era a pessoa da legendagem. Percebemos a trapalhada: trocamos o filme de sala e não avisamos "a legenda"!

Um comentário:

  1. Esse meio pânico já passei....eu lendo o texto passou um filme na minha mente..rs..

    beijos

    ResponderExcluir