sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

Inquietos

Gus Van Sant é um cineasta americano cultuado e em minha memória, diretor de filmes "pesados" como Elefante, inspirado no massacre de Columbine e Garotos de Programa, provavelmente o primeiro que vi dirigido por ele. Já dirigiu filmes mais conhecidos, como Gênio Indomável e Milk, que rendeu Oscar de Melhor Ator a Sean Penn e passou no CineMaterna. Não me lembrava de nenhum destes dois em sua filmografia, acho que os considero "leves".

A maior parte de seus filmes tem um dos temas: drogas, prostituição, assassinato. Então, quando vi que ia estrear um novo filme de Gus Van Sant, Inquietos (Restless, 2011), fiquei receosa.

Filme de amor e morte, mostra o romance entre uma jovem com câncer em fase terminal e um rapaz que tem como melhor amigo o fantasma de Hiroshi, um piloto de caça kamikaze. Enoch Brae e Annabel Cotton se conhecem num velório e descobrem que têm muita coisa em comum. Bela e encantadora, ela mantém um profundo amor pela vida e pela natureza, mesmo estando nos últimos dias de sua vida. Já Enoch perdeu a fé na vida depois de uma tragédia familiar, mas resolve ajudar Annabel a enfrentar seus últimos dias. 

Lendo a sinopse, achei intrigante e delicado. E com direção de Gus Van Sant, atiçou minha curiosidade. Uma história dessas poderia facilmente ser lacrimejante e piegas. Assisti e posso dizer: o filme é lindo, vi sorrindo e querendo ser Annabel. Isso mesmo, com vontade de ser a menina com doença terminal!

Henry Hopper (Enoch) e Mia Wasikowska (Annabel) em cena do filme
Foto: reprodução

Curiosidade 1: Mia Wasikowska, a Annabel do filme, é australiana e tornou-se conhecida do público depois de Alice no País das Maravilhas, que passou no ano passado.

Mia Wasikowska como Alice
Foto: reprodução

Curiosidade 2: Enoch é interpretado por Henry Hopper, filho do conhecido ator Dennis Hopper - e muito parecido com ele.

Dennis Hopper
Foto: reprodução

O filme vai passar na semana que vem no CineMaterna paulistano. Desculpe se aticei sua curiosidade e você está em outro local. Filmes deste perfil entram em cartaz um pouco depois em outras cidades. Não perca a esperança de conhecer Annabel!


Um comentário:

  1. Legal, Irene!

    Eu vi o trailler quando fui assistir A pele que habito e fiquei morrendo de vontade de assistir, mas com minha frequência média de 1 ou 2 vezes por ano indo ao cinema para ver filme adulto, sei não...

    ResponderExcluir