quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

O coração fica no peito

Quinta passada, uma mãe que é assídua frequentadora das sessões nos contou que desmamou a filha de cinco meses. O pediatra da sua bebê lhe disse que seu leite não estava mais alimentando-a, que a pequena faria seu peito de chupeta e se tornaria uma criança muito dependente. Ouvi isso com dor no coração. Meu leite alimentou exclusivamente meu filho por seis meses e continuou sendo complemento da sua alimentação até os dois anos. E hoje, aos três, é uma criança saudável e muito independente. Talvez tenha feito meu peito de chupeta em algumas ocasiões, sim, mas ele acomodado no aconchego do meu seio é um momento de carinho que vou guardar para sempre. Amamentar cansa, não é fácil, mas é um laço que é muito, muito especial, reservado só para nós, mulheres e mães.

Pois ontem, esta mãe veio na sessão, olhou para mim e disse: "Quer saber, voltei a dar o peito! Foi só encostar na boca dela que pegou imediatamente e começou a sugar. Dormiu em seguida. E daí que ela me faz de chupeta? Passa tão rápido!". Fiquei muito emocionada e feliz com a "rebeldia" dela. Estava diante de uma mulher forte que resolveu seguir seu instinto. E que vai levar sua filha em outro pediatra...

15 comentários:

  1. Eu nunca pensei que ia ouvir falar de um pediatra que diria a uma mãe para parar de dar o peito! Que absurdo!
    Ok, não ta tendo o ganho de peso esperado, nem o desenvolvimento, complemente, introduz os solidos, observa a necessidsade da mãe da criança. Mas falar pra desmamar? Como assim?
    Dou um parabens pra essa mãe, que tem mais é que ouvir seus instintos e procurar uma orientação diferente, nem que seja apenas por ser uma segunda opinião.

    ResponderExcluir
  2. Que bacana, Irene! Final feliz pra esta mãe e seu bebê!

    ResponderExcluir
  3. Infelizmente pediatras desse tipo tem aos montes por aí.

    Agente pode lançar a campanha "rebeldia com consciência" para alertar mães carentes.
    ter um pediatra parceiro é a melhor "empodeiramento materno" que existe.

    ResponderExcluir
  4. Ah meu bebê precisou entrar com complemento pq não estava ganhando peso só com a amamentação. Mas meu pediatra sempre diz "enquanto tiver uma gota de leite, amamente". E é um dos meus melhores momentos com o Gu. Que bom q vc se rebelou, mamãe!

    ResponderExcluir
  5. Olha eu estou nessa situação, complemento com LA desde os 4 meses e meio. Minha bebê está com 5 e meio e ainda insisto no peito. Mas confesso que não é fácil... saber que aquilo não a alimenta mais, insistir num momento que muitas vezes se torna tormento (pois qdo está muito cansada ela rejeita o peito mas não a mamadeira). Dá uma certa frustração sim! Não foi o pediatra que disse pra eu desmamar mas acho que está acontecendo aos poucos por mais que eu não quisesse... Parabéns pra aquelas que conseguiram! Eu não sei se chegarei aos 6 meses dela...

    ResponderExcluir
  6. Oi Anna, amamentar é uma experiência que pode ser muito difícil para algumas mulheres. Ninguém fala disso antes de sermos mães, né? Parabéns pela sua insistência! Ah, acho que você chega aos seis meses dela, falta pouco! ;o)


    Beijo grande,
    Irene

    Obs: a mamadeira é mais fácil de tomar, por isso que às vezes ela rejeita o peito quando cansada.

    ResponderExcluir
  7. ai meninas!
    que boa notícia!
    que emoção! ser mãe também é contestar o médico e fazer pequenos milagres.
    :O) parabéns para mães que ousam!
    xx
    Ale

    ResponderExcluir
  8. Eu amamentei exclusivamente minha menina até os 6 meses e por carinho até os seus 2 anos, mesmo assim ela não é nada dependente de mim. Olhem que a Helena sempre teve peso um pouco abaixo da média e mesmo assim, nunca complementei. Esse é um momento único que passa rápido demais. Todos esses pequena as vezes nos usam como chupetas, mas espera aí? isso não é todo dia e toda vez........vamos dar de mamar e derrubar o tabu de que só quem não tem condições de comprar leite artificial amamenta por muito tempo seu filho. Carinho é isso que nossos filhos necessitam!

    ResponderExcluir
  9. Parabéns para a coragem desta mamãe que seguiu seus instintos e suas crenças!!! conheço muitas mães que não insistiram na amamentação porque o pediatra não reforçou a importância, já na maternidade deram outros leites complementares. Acho isso um absurdo, quanto mais mama no peito, mais leite tem, e se já na maternidade dão complemento, como vai produzir mais no peito??? Revolta já contra estes pediatras que não incentivam a amamentação materna!!!

    ResponderExcluir
  10. Como mãe de primeira viagem, muitas vezes a gente erra tentando acertar. Comigo foi assim. Uma vez que eu escolhi o pediatra por afinidade, procuro seguir suas orientações ( já que não tenho minha mãezinha pra me orientar). Só que o amor, muitas vezes, fala mais alto que a experiência profissional. Até entendo o ponto de vista dele, mas é difícil aceitar que um médico tenha a atitude de cortar esse vínculo mais sublime entre mãe e bebê. Eu amo amamentar, mas como tive que fazer uma cirurgia, o meu leite diminuiu e não é mais suficiente para alimentar a minha bonequinha. Mas a amamentação é muito mais do que o alimento, é o contato, o olho no olho, o toque, o momento de trocar carícias. Tendo isso em mente e no meu coração, acho que precisei de uma palavra amiga, como a de vcs, para conseguir tomar a atitude de voltar, nem que por um minutinho que seja, mas que, com certeza, vai fazer toda a diferença pra minha filha se sentir segura e amada pela mamãe que sempre estará ao lado dela. Talvez a Marcela seja a minha única filha, talvez ela perca o interesse pelo peito por conta própria, mas enquanto ela quiser vai ter esse carinho, nem que todo dia seja como chupeta mesmo, pois quando eu der conta, tudo isso já vai ter passado e não quero ter a sensação de que podia ter feito mais. Eu vou fazer mais agora e todos os dias.
    Obrigada meninas! Obrigada por todos os encontros, todo o carinho dispensado, por serem uma válvula de escape nesse turbilhão hormonal e pelos conselhos experientes de quem tem puro amor pelas suas crias.

    ResponderExcluir
  11. Suzana, estou com lágrimas nos olhos... Obrigada por compartilhar este depoimento tão carinhoso.

    Beijo grande no coração,
    Irene

    ResponderExcluir
  12. Trocas lindas de experiências, tocante o depoimento da Suzana!

    ResponderExcluir
  13. Como Irene também estou com lágrima nos olhos...Seja por me identificar com algumas histórias, seja por me solidarizar com outras. Sou pediatra especializada em recem nascido mas antes de tudo sou mãe, e de primeira viagem! Hoje procuro palavras pra falar da amamentação e não encontro pois é um momento tão sublime, tão intenso, e não é só pelo fato de nutrir mas pela relação de amor e cumplicidade que se forma nesse momento, realmente é cansativo, muito cansativo mas tão compensador ver esses pixotos com o bocão aberto procurando o peito e fechando os olhinhos como se estivesse se deleitando com um grande e saboroso milk shake! Meu filhote faz várias vezes meu peito de chupeta, principalmente pra tirar uma soneca, e escuto mil pessoas falando que não tá certo e por isso e por aquilo, mas que saber: não tô nem aí, como já falaram esse momento passa tão rápido que quero mais é curtir.

    Essa troca de experiências realmente é fantástica, melhor que qualquer análise!!!!
    Beijo pra todas...

    ResponderExcluir
  14. A exato 1 mês a "ex" pediatra dela pediu que eu começasse a introduzir suco, não tive dúvida, mudei de pediatra, hoje ela está com 4 meses e 16 dias, super saudável e com ganho de peso esperado. Acredito no profissional, mas muitas vezes prefiro seguir minha intuição, dou colo, peito, slingo mesmo, passa tão rápido e sei que vou sentir muita falta desta fase..

    ResponderExcluir
  15. Oi Sara, intuição é tão importante na vida de uma mãe, né? Bebê saudável, mãe informada, amamentação exclusiva até os seis meses! \o/

    Bjs
    Irene

    ResponderExcluir