quarta-feira, 5 de agosto de 2009

Lançamento em Salvador!

Passei a manhã da segunda checando o que faltava imprimir, a lista de convidados, os materiais a embrulhar, os itens da mala, os e-mails que não paravam de chegar. E ia me despedindo do meu filho: seria minha primeira noite fora. Até que demorou para isso acontecer. Me despedi três vezes, como se fosse a última vez que o veria na vida. Na terceira, ele já me olhava como quem diz: "de novo, esse monte beijo?".

Tentando embarcar
Enfim, parti. Peguei a Alexandra na casa dela (Taís já estava em Salvador) e pegamos a Marginal rumo ao aeroporto. Tarde de segunda, sem chuva, nenhum grande acontecimento e... tudo parado. Nós duas conversando, nem percebemos como estava lento o trânsito. De repente, olhei no relógio e percebi que teríamos que, daquele ponto, chegar em 10 minutos no aeroporto para não atrasarmos. Tarefa que naquelas condições, me parecia impossível. E não andava. Andou um pouco! Parou de novo. E não andava. E o tempo passando. Uma hora antes do voo e nem sinal do trânsito melhorar. Eu brincava: "ah, já fizemos check-in pela internet, temos 10 minutos a mais". E o carro cheio de caixas para despachar, o trânsito não dando trégua. E o relógio do meu carro inexorável na nossa frente, andando mais rápido do que queríamos. De repente - não, não foi nada de repente - consegui engatar terceira, quarta e lá fomos, voando. No estacionamento, faltavam 20 minutos para o voo! Isso, segundo a Alexandra, pois nem olhei no relógio para não desanimar. Empilhamos as caixas em um carrinho e fomos equilibrando-as em direção ao terminal, correndo. Depois vimos, as caixas totalizaram 25 quilos. Chegamos no elevador para subir para os balcões: fila! Falei para a Alexandra ir na frente pela escada rolante para adiantar e tentar descobrir como conseguiríamos embarcar. E eu olhando aquela fila no elevador. Meu instinto de sobrevivência me fez pedir (educamente) para furar a fila. Eles deixaram! Corri - na medida do possível, com o pesado carrinho - e fui para o balcão. Alexandra, desesperada tentando convencer a moça a segurar a porta do "bagageiro" do avião, já que o check-in estava encerrado... Enfim, algumas informações desencontradas depois, estávamos correndo pelo saguão e entrando esbaforidas numa van que veio nos buscar e mais um casal, que também estava preso no trânsito.

Enfim, Salvador


Quarta cidade a receber o CineMaterna, a primeira do nordeste... O Espaço Unibanco Glauber Rocha é um antigo cinema, que foi reformado e modernizado, reinaugurado em dezembro de 2008. Ou seja, instalações moderníssimas, projeção de primeira!

Terraço que tem vista para a Bahia de Todos os Santos

Nossa equipe de Salvador é enxuta, mas porreta! Tem a Andréa, mãe da Marina, de cinco meses.



Andréa indicou a Karina, que é mãe de Lucca, de cinco anos. Aliás, Karina é paulista, está em Salvador há pouco mais de um ano e entrou para a equipe um dia antes do lançamento - e já mostrou a que veio.



Ainda tem a Simone, que está viajando em férias, mas que estará na próxima sessão. Ela é mãe de Daniel, que tem quatro meses.

O público estava à vontade, com bebês maiores em clima descontraído antes do início da sessão.


Tivemos que partir correndo, logo depois do café. Chegamos tarde em São Paulo, as três, morrendo de saudade dos pimpolhos. Claro que eles já estavam dormindo, mas o ritual de chegada foi o mesmo: entrar no quarto e sentir seu cheirinho...

6 comentários:

  1. Ola,

    Meninas, amei o programa, e amei me ver na fotinho aqui no blog, sou a quem esta de joelho toda de preto e minha pequenas deitada com o vestido florido.
    Foi bom ver minha menina interagindo com outros bebês, a carinha das mães, felizes por estarem vendo que não são as unicas querendo rua, rss....
    A experiência valeu sim, espero que prospere aqui em salvador, dia 18 vou ver se vou novamente, minha mãe que esta afim de ir.
    Gostaria de saber o resto das fotos, para se tem mais minha e de minha pequena Manoeli Louise, vou colocar no no meu orkut.
    Beijos e já estou cadastrada também aqui no blog.

    ResponderExcluir
  2. Oxii, que bom que vcs foram pra Salvador!!

    ResponderExcluir
  3. Gostei muito da sessão e tb da ideia...Era o que faltava em Salvador,um espaço de interação entre pais e bebes...Minha pequena Mariana ficou toda animada,fez até alguns amiguinhos!!Rsrs...Espero poder participar nas outras sessões!!Um beijão a todos,vcs são otimos!!!

    ResponderExcluir
  4. Poxaaaaaa...
    O Cine Materna só chegou em Salvador após minhas férias (acabaram em 31/07/09) e após minha filha completar 18 meses (em 29/07/09) !!!!
    Vocês informam que a idade máxima é 18 meses, mas quando for desenho pode levar criança depois dessa faixa etária? Até que idade é possivel,quando o filme for um desenho? Gostaria de poder levar minha filha, até para ela se acostumar com o ambiente de cinema, pois tenho vontade de levá-la para assistir desenhos, mas tenho receio dela estranhar, chorar. Vou divulgar o Cine materna aqui em Salvador. Abraços e Parabéns !!!

    ResponderExcluir
  5. Olá! Agradeço o elogio.

    Sim, se o filme for de classificação livre, podem entrar crianças maiores, sem limite de idade. Nas férias escolares normalmente são lançados filmes neste perfil.

    Abçs
    Irene

    ResponderExcluir