quarta-feira, 17 de dezembro de 2008

Final feliz?

Ontem assistimos Rebobine Por Favor, do mesmo diretor de Brilho Eterno de Uma Mente sem Lembranças, que eu amei. Bom, não amei o filme de ontem, mas tem ótimas idéias, passagens engraçadíssimas, e não deixa de ser uma homenagem ao cinema, especialmente aos filmes que marcaram alguma época.

Eu, particularmente, adorei o final. Finais são muito difíceis: se é feliz demais, fica bobo, se é trágico, é pesado, se é emocionante, pode ser piegas.

Sem estragar para quem ainda não viu o filme - tem que tomar esse cuidado também, né? - o final de ontem me tocou. Praticamente na última sessão CineMaterna do ano, me senti exatamente como Jerry, o personagem de Jack Black, profundamente emocionado, no lusco-fusco da projeção de um filme.

Um comentário:

  1. ei Irene!
    emocionante mesmo a última sessão do ano.
    Despretencioso o filme chegou ao final surpreendendo. A história de pessoas mais do que comuns transformando e encantando o mundo a sua volta.
    obrigado
    xx
    Ale

    ResponderExcluir